Buscar

Dicas para traçar uma estratégia eficiente de gestão de saúde

Atualizado: Set 28

Conteúdo originalmente publicado no Estadão no dia 22 de setembro de 2021.


Na gestão de saúde, a integração dos dados é essencial para fazer o gerenciamento analítico, identificando os fatores de risco e o perfil populacional.

Um dos grandes desafios das empresas é conseguir fazer uma gestão de saúde eficiente. Afinal, o objetivo é promover a qualidade de vida desejada, assim como otimizar os recursos disponíveis. Para obter sucesso nessa missão, portanto, contar com uma estratégia eficiente faz toda a diferença.



Nesse contexto, o primeiro passo é identificar e separar as informações necessárias para, com isso, promover uma análise e, assim, achar o melhor caminho. Entre os dados relevantes estão:

  • Doenças mais prevalentes;

  • Comportamento das pessoas dentro da rede assistencial;

  • Tendências financeiras.

Esse trabalho de mapeamento é conhecido como diagnóstico. A partir do levantamento é possível traçar um plano de ação e, consequentemente, investir em estratégias de inteligência médica e de recursos humanos.


Mas como as empresas podem fazer essa análise de dados? Quais os cuidados necessários? Como conseguir as informações? Quais as falhas mais comuns nesse processo que devem ser evitadas?


Para responder essas dúvidas e outras dúvidas, contamos com a ajuda de Ricardo Ramos, Chief Medical Officer da iTech Care. Dessa forma, aprenda a partir de agora detalhes para traçar uma estratégia eficiente de gestão de saúde.


Gestão de saúde


Ricardo Ramos explica que, atualmente, existem recursos fundamentais para mapear e gerir as questões de saúde entre os colaboradores de uma companhia.


Nesse processo, a integração dos dados é essencial para fazer a gestão analítica do estado de saúde dos indivíduos, com a identificação de fatores de risco e perfil populacional.

“Em um primeiro momento, deve-se avaliar os dados existentes de diversas fontes”, afirma o Chief Medical Officer da iTech Care. Entre as informações, estão:

  • Programas de saúde;

  • Afastamento;

  • Utilização do plano de saúde;

  • Taxas de absenteísmo;

  • Dados de outros benefícios de saúde.

Benefícios


Quando eficientes, as soluções tecnológicas são de extrema importância para a gestão de saúde, permitindo a identificação dos problemas e facilitando o estabelecimento das ações necessárias. “Ao cruzar os dados, a ferramenta apresenta o risco para a saúde dos beneficiários, classificando-os em diferentes níveis”.


Utilizando como referência a solução da iTech Care, Ricardo Ramos explica que o painel do RH oferece para os gestores a visão volumétrica nos diferentes níveis de risco. Além disso, demonstra indicadores gerais por região, faixa etária, gênero, quantidade de consultas, internações, consumo de medicamentos, afastamentos e outras informações estratégicas.


Por sua vez, o painel médico, além da visão geral, permite a identificação dos beneficiários. Isso facilita a implantação das medidas de intervenção médica em casos mais graves, além do direcionamento para programas de saúde.


“O trabalho em conjunto envolvendo tecnologia e inteligência médica permite que sejam indicadas ações para combater desperdícios, ajudando pacientes a chegar a um melhor desfecho clínico, e empresas a obter economia”.


Cuidados necessários


Durante esse processo de implantação de uma estratégia eficiente de gestão de saúde, o gestor precisa tomar alguns cuidados para evitar complicações futuras. Entre as ações, é necessário organizar e categorizar os dados disponíveis.


A falta desse cuidado, porém, pode levar a erros, assim como gerar informações inconclusivas. “Não é incomum que falhas no processo de higienização das bases de dados levem a conclusões erradas”, destaca Ricardo Ramos.


Além disso, é preciso evitar o uso de ferramentas de baixa acuracidade. Isso porque soluções imprecisas podem comprometer toda a análise e, com isso, induzir a conclusões erradas. É importante ainda possuir dados comparativos em perspectiva para usar como benchmark.


Para o Chief Medical Officer da iTech Care, outro ponto essencial para o desenvolvimento de um diagnóstico é ter como meta a visão da jornada da saúde como um todo. Dessa forma, o erro é focar em eventos pontuais, momentâneos e isolados.


“Com isso em mente, é possível deixar de agir somente no curto prazo e focar na realização de análises preditivas”, afirma Ricardo Ramos.


Contar com o auxílio de informações estratégicas é fundamental para a gestão da saúde. Nesse ponto, porém, é preciso redobrar a atenção e evitar focar meramente em dados, sem o apoio necessário. “As análises devem ser acompanhadas por um time médico que, de forma proativa, identificará necessidades e oportunidades na população”.


Sigilo


Entre as informações relevantes necessárias para uma boa gestão da saúde estão: absenteísmo, afastamento e suas causas e dados de utilização do plano de saúde.


Durante todo esse processo de análise do conteúdo disponível, porém, é preciso ficar atento com outro detalhe muito importante. Todas as informações precisam respeitar o sigilo médico, assim como a lei geral de proteção dos dados, conhecida pela sigla LGPD.


Entre as informações sensíveis estão:

  • Dados de consultas;

  • Internações;

  • Compras de medicamentos (PBM);

  • Afastamentos;

  • Atestados;

  • Dados de Recursos Humanos (RH);

Trabalho especializado


Com tantos detalhes importantes para se avaliar durante esse processo, contar com o trabalho de uma empresa especializada faz toda a diferença. “Para obter um alto retorno sobre o investimento (ROI) em gestão de saúde corporativa e, em paralelo, melhorar a vida das pessoas, é fundamental contar com a ajuda de especialistas experientes”.


Embora os custos cresçam exponencialmente, o Chief Medical Officer da iTech Care explica que há oportunidades que corrigem as ineficiências do setor. “Nascemos do desejo de liderar a transformação através dos dados, da tecnologia e da curadoria médica”.


Dessa forma, profissionais especializados conseguem unir toda a cadeia de saúde – operadoras, empresas, prestadores de serviço – e colocar o paciente como peça central. “Isso nos torna mais ágeis e assertivos, mas sobretudo mais humanos e comprometidos em cuidar do bem mais importante das pessoas: a saúde”.


Solução


Para obter os melhores resultados na gestão de saúde, portanto, é preciso contar com uma estratégia que trabalhe em conjunto com uma solução comprovadamente eficaz. Afinal, é preciso tratar corretamente os dados. “Nós criamos soluções inovadoras que geram economicidade e previsibilidade para empresas e melhoram a vida das pessoas”.


Nesse contexto, a iTech Care cuida da gestão de saúde das empresas para que elas cresçam com tranquilidade, assim como para trazer prevenção e promoção de saúde para a vida dos colaboradores.


“Somos Dasa, a maior rede de saúde integrada do Brasil. Atendemos a mais de 20 milhões de pessoas por ano. Somos um robusto ecossistema que desenvolve o que há de mais inovador em tecnologia e saúde e conecta espaços, conhecimentos, especialidades e está sempre em evolução”.


Link da matéria: https://bluestudioexpress.estadao.com.br/conteudo/2021/09/22/dicas-para-tracar-uma-estrategia-eficiente-de-gestao-de-saude/